23/11/2021 às 12h01min - Atualizada em 23/11/2021 às 12h01min

Homem é condenado a 19 anos de prisão por matar mulher em motel em Teresina

Após o crime, José Augusto chegou a ir o velório de Maria da Cruz e confortou os filhos da vítima.

Portal O Dia
Foto: Arquivo O Dia

Um homem identificado como José Augusto de Lima foi condenado, nesta segunda-feira (22), a 19 anos e oito meses de prisão por ter assassinado Maria da Cruz Batista Paz em um motel na zona Norte de Teresina. A vítima foi assassinada no dia 16 de dezembro de 2014 após ser espancada com uma chave de roda.


Leia também: Macy Freitas sofre racismo ao participar de concurso de beleza negra 


De acordo com o Ministério Público do Piauí, o réu foi condenado pela prática de homicídio qualificado por motivo torpe e utilizando-se de recurso que impossibilitou a defesa da vítima. Segundo a denúncia, os dois se encontraram na Praça do Marquês e foram juntos ao motel. No local, o casal teria discutido, momento em que José Augusto empurrou a vítima com violência, fazendo com que ela caísse no chão e batesse a cabeça em um móvel do quarto, ficando desacordada.

"Na sequência, o condenado deslocou-se até o seu veículo, pegou uma chave de roda e passou a golpeá-la na cabeça, causando o afundamento do crânio. Posteriormente, o acusado colocou a vítima no porta-malas de seu veículo e jogou o corpo de Maria em um matagal existente próximo ao shopping da capital", informou o MPPI.

O acusado ficou por cerca de cinco horas com o corpo da vítima dentro do quarto do motel, enquanto limpava as manchas de sangue do local. Após o crime, José Augusto chegou a ir o velório de Maria da Cruz e confortou os filhos da vítima. Em seguida, viajou para a cidade de Barra do Corda/MA, onde passou as festas de Natal e Réveillon, o que, para o MP, demonstra a frieza do acusado, ao se comportar "como se nada de anormal tivesse acontecido".

“Este crime à época dos fatos causou grande repercussão na sociedade de Teresina/PI, onde a população clamava por justiça em virtude da violência e da covardia do crime cometido”, afirma o promotor João Malato Neto, responsável pela acusação.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://intopo.com.br/.
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp