27/10/2021 às 11h07min - Atualizada em 27/10/2021 às 11h07min

Fusão entre Betânia e Embaré aposta em inovação para competir com a Nestlé

A capacidade de produção estimada após a fusão das linhas de produção é de 4,8 milhões de litros de leite por dia

O Povo
foto: JÚLIO CAESAR

A cearense Betânia Lácteos e a família Antunes, controladora da Embaré (dona de marcas como a Camponesa), formalizaram acordo de fusão na última terça-feira, 26 de outubro. A expectativa é de que a empresa a ser criada tenha faturamento anual de R$ 4 bilhões com a comercialização de 220 tipos de produtos em 100 mil pontos de venda em 46 países. O intuito é fazer frente aos produtos da marca Nestlé. 

Com a fusão, a infraestrutura total gerada será de nove fábricas, 13 centros de distribuição, nove laboratórios próprios e três filiais, quatro brokers, um armazém geral e dois cross dock. Ao todo, a capacidade de produção estimada após a fusão das linhas de produção é de 4,8 milhões de litros de leite por dia. 

Espera-se que a fusão resulte em um quadro de funcionários com 3,6 mil colaboradores diretos. Além disso, para abastecer as fábricas da nova empresa, serão mantidas parcerias com cerca de 6,5 mil famílias produtoras de leite e 12 cooperativas em 221 municípios do Brasil. 

"As empresas passarão a fazer parte de um novo grupo, que conduzirá o processo de integração de forma gradual, transparente e sem grandes mudanças estruturais, já que ambas manterão estruturas físicas e operacionais separadas e terão autonomia para determinar seus processos internos", detalha a Betânia Lácteos. 

As operações ainda dependem da aprovação do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade). Contudo, as empresas firmam que as partes envolvidas na fusão terão cotas iguais na administração e nova empresa. 

O empresário Bruno Girão, sócio majoritário da Betânia Lácteos, será o CEO da nova empresa pelos primeiros cinco anos de operacionalização da fusão. Além disso, ele terá como sócio o fundo norte-americano de investimentos Arlon, que já é parceiro da Betânia e atuou na estruturação dos termos da fusão. 

Planos para o futuro após a fusão

Pelo acordado entre as empresas, a pessoa a representar o cargo de diretor financeiro da fusão deverá ser indicada pela Embaré. "Essa combinação vai fortalecer e nutrir, ainda mais, a relação de confiança com os nossos consumidores, com quem possuímos uma relação baseada na simplicidade e na transparência", pontua o CEO da Embaré, Alexandre Antunes.

Ele destaca ainda que o foco da operação conjunta das empresa será consolidar a nova marca como "um dos maiores grupos lácteos do Brasil”. Assim, ele reforça que após a integração completa da logística das linhas de produção, novos produtos serão lançados. 

"O novo grupo terá um portfólio de produtos mais diversificado para atender todas as regiões do País com excelência e levar produtos inovadores e de qualidade às casas de milhares de famílias brasileiras", detalha. 

Entre os produtos que serão comercializados a partir da aprovação da fusão pelo Cade estão toda a linha Betânia, Bat Gut, Betânia Kids, e os produtos das marcas Embaré e Camponesa, divididos entre leite uht, leite em pó, leite condensado, creme de leite, doce de leite, bebidas lácteas, iogurte, leite fermentado, manteiga, requeijão, queijos e caramelos

Disputa de mercado com a Nestlé

“A operação une o que ambas as empresas têm de melhor - solidez financeira, robustez operacional e profundo conhecimento do setor de lácteos - para escalar a produção e entregar produtos de qualidade a todas as regiões do País de forma mais competitiva e eficiente”, destaca Bruno.

Um dos focos com a fusão é aumentar a competitividade dos produtos das duas marcas no mercado nacional e também internacional. Juntas, as empresas buscam fazer frente a linha de produtos da Nestlé e prometem apostar em ações de desenvolvimento sustentável para impulsionar o desenvolvimento de toda a cadeia produtiva do setor lácteo no Brasil. 

A união resultará em uma empresa que vai disputar o segundo lugar no ranking das maiores empresas do País em captação de leite com a suíça Nestlé. A liderança entre as companhias com números conhecidos é da Laticínios Bela Vista, dona da marca Piracanjuba.

Para o Ceará, a Betânia revela que estuda expandir a fábrica de leite em pó e leite condensado na região de Morada Nova. Em parceria com a Embaré também projeta novas linhas de produção em outras regiões do Estado.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://intopo.com.br/.
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp