08/10/2021 às 16h02min - Atualizada em 08/10/2021 às 16h41min

Prêmio Nobel da Paz 2021 vai para os jornalistas Maria Ressa e Dmitry Muratov por defesa da liberdade de expressão

Os jornalistas Maria Ressa, das Filipinas, e Dmitry Muratov, da Rússia, ganharam o Prêmio Nobel da Paz de 2021 pela luta a favor da liberdade de expressão em seus respectivos países

Prêmio Nobel da Paz homenageia dois jornalistas em 2021(Foto: The Nobel Prize, Divulgação)

O Prêmio Nobel homenageia todo ano importantes personalidades internacionais em seis categorias diferentes. O anúncio dos vencedores é feito em dias espassados e segue uma ordem tradicional. O objetivo da premiação é reconhecer pessoas que se destacaram por descobertas ou contribuições notáveis para a humanidade.

Dez categorias totalizam o prêmio: medicina ou fisiologia, física, química, literatura, paz e economia. Até esta quinta-feira (7), oito pessoas foram reconhecidas em quatro das seis áreas. Ainda serão anunciados na sexta-feira (8) e na segunda (11), os vencedores do Nobel da Paz e o da Economia, respectivamente.

Os ganhadores recebem prêmio em dinheiro, um diploma e uma medalha de ouro. Quando mais de uma personalidade vence a mesma categoria, o valor é repartido entre eles.

Veja a lista de vencedores do Prêmio Nobel 2021

Os outros vencedores do prêmio Nobel deste ano foram:

·         Medicina: David Julius e Ardem Patapoutian

·         Física: Syukuro Manabe, Klaus Hasselmann e Giorgio Parisi

·         Química: Benjamin List e David MacMillan

·         Literatura: Abdulrazak Gurnah

·         Economia: será divulgado na segunda-feira (15)

Os prêmios Nobel são concedidos por mais de uma entidade:

·         Academia Real das Ciências da Suécia: prêmios de Física, de Química e de Economia

·         Instituto Karolinska: Nobel de Fisiologia (Medicina)

·         Academia Sueca: Nobel de Literatura

·         Comitê Norueguês do Nobel: Nobel da Paz

 

Medicina ou Fisiologia: David Julius e Ardem Patapoutian

O americano David Julius, de 65 anos, e o libanês Ardem Patapoutian, de 54 anos, ganharam esta categoria em 2021. Os profissionais, que trabalham em diferentes instituições norte-americanas, descobriram receptores de temperatura e sensação de toque na pele no sistema nervoso.

Eles entenderam como o calor, o frio e a força mecânica podem iniciar os impulsos nervosos que permitem que os seres humanos percebam e se adaptam ao mundo.

Julius, que trabalha na Universidade da Califórnia, em San Francisco, usou a capsaicina nas pesquisas, um composto de pimenta malagueta que induz uma sensação de queimação. O objetivo era identificar um sensor nas terminações nervosas da pele que responde ao calor.

Já Patapoutian, que é cientista da instituição Scripps Research, também na Califórnia, usou células sensíveis à pressão para descobrir uma nova classe de sensores que respondem a estímulos mecânicos na pele e órgãos internos. 

Os pesquisadores vão dividir o prêmio de 10 milhões de coroas suecas (cerca de R$ 6 milhões).

Física: Syukuro Manabe, Klaus Hasselmann e Giorgio Parisi

O prêmio de Física de 2021 foi dedicado a homenagear estudos sobre as mudanças climáticas que afetam o planeta. Duas pesquisas diferentes foram reconhecidas. Metade do prêmio foi para Syukuro Manabe, dos Estados Unidos, e Klaus Hasselmann, da Alemanha, por fazerem a modelagem física do clima da Terra, quantificando a variabilidade e prevendo o aquecimento global de forma confiável.

A outra metade do prêmio foi para Giorgio Parisi, da Itália, que descobriu a interação da desordem e das flutuações nos sistemas físicos de escalas atômicas a planetárias.

Química: Benjamin List e David MacMillan

Pesquisadores da Alemanha e Estados Unidos desenvolveram um ferramenta para a construção de moléculas orgânicas, conhecida como organocatálise assimétrica. A ideia resultou no Nobel de Química. Benjamin List, do Instituto Max-Planck, e David MacMillan, da Universidade de Princeton, criaram a técnica no início dos anos 2000. Os dois dividem o valor do prêmio.

A ferramenta desenvolvida por eles ajuda na pesquisa de novos produtos farmacêuticos e auxiliou a tornar a química mais

Literatura: Abdulrazak Gurnah

O romancista Abdulrazak Gurnah, da Tanzânia, venceu o prêmio Nobel de Literatura deste ano, o maior reconhecimento mundial a um escritor vivo. O comitê do Nobel justificou a escolha "por sua rigorosa e compassiva investigação sobre os efeitos do colonialismo e os destinos dos refugiados na lacuna entre culturas e continentes".

Dos 118 escritores escolhidos até hoje, apenas 16 foram mulheres. Só três pessoas negras venceram além de Gurnah — a americana Toni Morrison, o nigeriano Wole Soyinka e Derek Walcott, da ilha caribenha de Santa Lúcia.

té o momento nenhuma mulher ganhou o prêmio Nobel de 2021. No ano passado, quatro mulheres e seis homens foram homenageados.

Paz: Maria Ressa e Dmitry Muratov

Os jornalistas Maria Ressa, das Filipinas, e Dmitry Muratov, da Rússia, ganharam o Prêmio Nobel da Paz de 2021 pela luta a favor da liberdade de expressão em seus respectivos países. Segundo o Comitê do Nobel da Noruega, os profissionais representam todos os jornalistas que defendem essa causa em um mundo em que a democracia passa por condições adversas. Os dois dividem um prêmio aproximado de R$ 6 milhões.

Maria Ressa, que ganhou junto com o russo Dmitry Muratov o prêmio Nobel da Paz de 2021. Academia Real das Ciências da Suécia anunciou que ambos ganharam o prêmio por seus esforços para defender a liberdade de expressão. — Foto: Reprodução Twitter/Prêmio Nobel

Maria Ressa, que ganhou junto com o russo Dmitry Muratov o prêmio Nobel da Paz de 2021. Academia Real das Ciências da Suécia anunciou que ambos ganharam o prêmio por seus esforços para defender a liberdade de expressão. — Foto: Reprodução Twitter/Prêmio Nobel

Maria Ressa, que ganhou junto com o russo Dmitry Muratov o prêmio Nobel da Paz de 2021. Academia Real das Ciências da Suécia anunciou que ambos ganharam o prêmio por seus esforços para defender a liberdade de expressão. — Foto: Reprodução Twitter/Prêmio Nobel

 

Maria Ressa, como jornalista e CEO do Rappler, luta incansavelmente pela liberdade de expressão. A profissional ganhou destaque ao denunciar a campanha assassina antidrogas, que tinha como foco os pobres, do regime do presidente das Filipinas, Rodrigo Duterte.

Imagem de 2011 de Dmitry Muratov, vencedor do Nobel da Paz de 2021 junto com a filipina Maria Ressa — Foto: Dmitry Muratov/Reuters

Imagem de 2011 de Dmitry Muratov, vencedor do Nobel da Paz de 2021 junto com a filipina Maria Ressa — Foto: Dmitry Muratov/Reuters

Imagem de 2011 de Dmitry Muratov, vencedor do Nobel da Paz de 2021 junto com a filipina Maria Ressa — Foto: Dmitry Muratov/Reuters

Já o jornalista da Rússica Dmitry Muratov tem defendido por décadas a liberdade de expressão em condições cada vez mais desafiadoras no país. Ele foi um dos fundadores da Novaja Gazeta, um jornal independente criado em 1993, que se tornou referência no país por divulgar fatos que raramente eram mencionados por outros meios de comunicação. Seis jornalistas do jornal foram mortos. Mescom com as ameaças, o editor-chefe Dmitry Muratov não abandonou a política independente do jornal.

Economia

O vencedor do Nobel da Economia de 2021 será revelado na segunda-feira (11), encerrando a premiação deste ano.

 


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://intopo.com.br/.
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp