19/01/2022 às 09h11min - Atualizada em 19/01/2022 às 09h11min

Saiba como identificar e tratar a candidíase de repetição

A infecção por fungo tende a aumentar no verão e causa bastante incômodo; veja como identificar e tratar a candidíase de repetição

IG

A candidíase é algo recorrente em mulheres e demais pessoas com vagina, como homens trans, atingindo 75% deste público. A infecção causada por fungos tem como sintoma principal a coceira,  que incomoda bastante! Em temporadas mais quentes como o verão, a tendência o aumento dos casos de candidíase, já que o calor e a umidade são propícios para a proliferação de fungos.

Há diversos tratamentos para a candidíase, dos medicamentosos aos naturais, como  banhos de assento e o famoso OB de alho . Contudo, muitas mulheres notam que quando o tratamento acaba, o fungo volta a aparecer mais e mais vezes. Isso é chamado de candidíase de repetição.

A candidíase de repetição pode ser causada por diversos fatores, como explica Lilian Fiorelli, uroginecologista e colaboradora da plataforma Sexo Sem Dúvida. A especialista é considerada candidíase de repetição se a infecção acontecer duas vezes em últimos seis meses ou até três vezes em um mesmo ano. Segundo ela, a alterações na flora vaginal fazem o problema ocorrer, mas  também outros fatores, como alterações intestinais.

Além de razões naturais do corpo, o uso de antibióticos como amoxilina e azitromicina também alteram a flora da região “Eles acabam matando as bactérias boas e favorece o crescimento da cândida. A gente tem ainda doenças imunológicas. A baixa imunidade local, então uma paciente que tenha, por exemplo, uma endometriose. Ela tem um processo inflamatório local, diminui a imunidade local, facilita a cândida. Ou às vezes ela tem uma inflamação por conta da de HPV e aí diminui a imunidade local, facilita a cândida também”, explica Fiorelli. 

No verão, com viagens e pessoas usando biquínis molhados por muito tempo, essa situação tende a piorar. A uroginecologista explica que o fungo adora ambientes quentes, úmidos e escuros. Se a região estiver machucada, fica ainda mais fácil da cândida se proliferar. “Toda vez que você tem alguma lesão na região genital, tem uma tendência a ter cândida. Tanto é que para bebês, inclusive, quando a gente tem assaduras, temos uma tendência de usar não só a pomada própria de assaduras, mas dependendo do grau a gente usa junto um tratamento para cândida, mesmo que a gente saiba que ainda não tem um processo de candidíase”, explica. 

A alimentação também agrava o quadro e o consumo de carboidratos em geral aumentam a glicose do sangue, que aumenta a glicose na região genital. A candidíase de repetição acontece toda vez que a paciente acaba tendo um gatilho, como conta Fiorelli. Antes de ir para a praia, após uma relação sexual ou também antes de uma menstruação. 


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://intopo.com.br/.
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp